Em primeira sessão pós pandemia, 8ª vara condenou acusado de homicídio em Arapiraca

Julgamento ocorre após a autorização concedida pelo Tribunal de Justiça de Alagoas, pela Resolução nº 26/2020

Por Da redação com Ascom TJAL 08/10/2020 13h01
Por Da redação com Ascom TJAL 08/10/2020 13h01
Em primeira sessão pós pandemia, 8ª vara condenou acusado de homicídio em Arapiraca
Promotor de Justiça Alex Almeida, em pé, e juiz Geneir Marques, ao centro da imagem. - Foto: Reprodução

A 8ª Vara Criminal de Arapiraca realizou o primeiro júri popular desde a suspensão das sessões, em março, por conta da pandemia de Covid-19. O julgamento ocorre após a autorização concedida pelo Tribunal de Justiça de Alagoas, pela Resolução nº 26/2020 publicada em 2 de outubro. O juiz Geneir Marques, titular da unidade, conduziu a sessão.

O réu participou da sessão por videoconferência, a partir do sistema prisional. No salão do júri, além do magistrado, estavam o promotor de justiça Alex Almeida, o defensor público Roberto Alan Mesquita, jurados e servidores. O público não pôde acessar o plenário, em cumprimento à Resolução mencionada.

Em entrevista à TV Tribunal, o juiz Ygor Figueiredo, auxiliar da Presidência, explicou as regras para a realização de júris a serem adotadas durante a Etapa Amarela do protocolo sanitário do TJAL.

O Crime


O réu Paulo Sérgio da Silva foi condenado pelo homicídio de Felipe Alves Araújo, ocorrido em 14 de novembro de 2019, em Arapiraca. O juiz fixou a pena em 6 anos de reclusão, a serem cumpridos em regime inicial semiaberto.

Agressor e vítima ingeriam bebidas alcoólicas juntos, e quando Felipe adormeceu, foi golpeado na cabeça por Paulo, com um paralelepípedo, durante a madrugada. O réu alegou que havia sido ameaçado e agredido com um soco por Felipe, que recebeu tratamento médico mas acabou falecendo em data posterior.