Banner Whats App - Já é Notícia
Polícia

Publicado Quarta-Feira, 22/05/2019 15:00 | Atualizado Quarta-Feira, 22/05/2019 15:07

Por: Redação com Gazetaweb.com

MPE investiga denúncia de assédio moral de delegados contra agentes de polícia em Alagoas

Presidente do Sindpol afirmou que alguns delegados se julgam super poderosos e que não vai aceitar que eles pensem ser donos da Polícia Civil

Foto por: Assessoria

Denúncias foram encaminhadas ao promotor Magno Alexandre

Policiais Civis de Alagoas denunciam que delegados têm cometido assédio moral contra escrivães e agentes de polícia. Nesta quarta-feira (22), o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), Ricardo Nazário, junto de duas policiais, denunciaram ao Promotor de Controle Externo da Atividade Policial, Magno Alexandre Moura, os abusos que estariam sendo cometidos.

Diante das denúncias, o Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL) abriu um procedimento para investigar os casos de assédio moral.

Segundo o relato das vítimas, as policiais estavam no plantão do Complexo de Delegacias Especializadas (Code), quando receberam determinação para trabalhar na Central de Flagrantes sem que houvesse publicação no Diário Oficial.

Elas relataram, ainda, que no dia que ocorreu o caso o Code estava sem o delegado titular e também não havia delegado substituto. Foi então, segundo elas, que as policiais civis não atenderam a ordem do delegado que estava na Centra de Flagrante solicitando a presença as duas na unidade. Com a negativa sobre a ida, o delegado ameaçou ir à Corregedoria caso elas não se apresentassem ao trabalho.

De acordo com o presidente do sindicato, alguns delegados, que, segundo ele, se julgam "super poderosos" estariam aproveitando-se da autoridade e determinando ordens ilegais. "Os delegados não são patrões dos agentes e escrivães não", desabafa Nazário. "O Sindpol não vai aceitar que certos delegados pensem ser donos da Polícia Civil e venham querer ser maior que as leis brasileiras", completa.

O sindicalista revelou que são muitos relatos que não viram denúncia porque a parte ofendida, na maioria das vezes, prefere pedir uma transferência para não mais trabalhar com o delegado em questão.

Na reunião como promotor Magno Alexandre foi aberto um procedimento investigativo, de acordo com Ricardo Nazário. O presidente do Sindpol explicou que agora os delegados devem ser ouvidos pelo Ministério Público.

Além disso, o sindicalista informou que o Sindpol levará as denúncias de assédio moral ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e ao Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg). "Os próprios delegados de polícia e a Corregedoria de Polícia estão descumprindo o Estatuto da Polícia em razão do coleguismo e do corporativismo", denuncia.
  DEIXE SEU COMENTÁRIO

“Os comentários abaixo não expressam a opinião do Portal Já é Notícia, que não se responsabiliza pela declaração do leitor.”

Últimas Notícias
©Todos os direitos reservados - 2019
Agência Lúmen