+° c
Banner Whats App - Já é Notícia
Polícia

Publicado Terça-Feira, 05/02/2019 07:20 | Atualizado Terça-Feira, 05/02/2019 12:25

Por: Redação

Condenação de família Boiadeiro ultrapassa 150 anos de reclusão

Baixinho Boiadeiro foi condenado a 45 anos e dez meses, Pé de Ferro e Pretinho Boiadeiro cumprirão 58 anos e quatro meses de prisão, cada 

Foto por: Caio Loureiro/Dicom TJ-AL

Quase 24 horas após iniciado o júri popular da família Boiadeiro, o Tribunal de Justiça de Alagoas decidiu condenar José Márcio Cavalcanti de Melo, o Baixinho Boiadeiro, Anselmo Cavalcanti de Melo, conhecido como Preto Boiadeiro; e Thiago Ferreira dos Santos, o Pé de Ferro, pelos crimes de duplo homicídio contra Samuel Theomar Bezerra Cavalcante Júnior, ex-cunhado do prefeito Paulo Dantas, e do sargento reformado Edivaldo Joaquim de Matos. O trio Boiadeiro também foi condenado pela tentativa de homicídio contra Theobaldo Cavalcante Lins Neto. Os crimes ocorreram no dia 27 de maio de 2006.

Baixinho Boiadeiro foi condenado a 45 anos e 10 meses de prisão, Pretinho Boiadeiro e Pé de Ferro foram condenados a 58 anos e 4 meses de reclusão, cada. Além da condenação, Baixinho Boiadeiro, ainda ontem, recebeu voz de prisão pelo homicídio do vereador por Batalha, Tony Pretinho e pela tentava de homicídio contra José Emílio Dantas. A prisão ocorreu ontem devido ao fato que Baixinho estava foragido desde 2017, ano em que ocorreram os dois crimes. Apesar de receber voz de prisão durante o julgamento, Baixinho Boiadeiro só foi levado ao presídio na manhã desta terça-feira.

O julgamento foi conduzido pelo juiz John Silas da Silva, titular da 8ª Vara Criminal da Capital, no Fórum do Barro Duro, a sessão iniciou na manhã de segunda-feira (4) e terminou somente na manhã desta terça.


Relembre o crime
Na noite do dia 27 de maio de 2006, Manoel Boiadeiro atirou contra Edvaldo Joaquim de Matos, Samuel Theomar Bezerra Cavalcante Júnior e Theobaldo Cavalcante Lins Neto, levando os dois primeiros a óbito. O crime ocorreu na Praça Matriz, da cidade de Batalha.

De acordo com a justiça, Baixinho Boiadeiro, Preto Boiadeiro, Pé de Ferro e Tigrão estavam armados e auxiliaram no crime, efetuando disparos para o alto e em direção ao carro onde estavam as vítimas. Segundo as testemunhas, o fato ocorreu após uma discussão sobre política envolvendo a irmã de Theobaldo, Marina Dantas, e uma mulher identificada como Karen, companheira de Manoel Boiadeiro.
  DEIXE SEU COMENTÁRIO

“Os comentários abaixo não expressam a opinião do Portal Já é Notícia, que não se responsabiliza pela declaração do leitor.”

Últimas Notícias
©Todos os direitos reservados - 2019
Agência Lúmen