Blogs

Dois radialistas de Arapiraca se afastam de seus programas por serem pré-candidatos

Por Paulo Marcello 29/06/2022 20h08 - Atualizado em 29/06/2022 20h08
Por Paulo Marcello 29/06/2022 20h08 Atualizado em 29/06/2022 20h08
Dois radialistas de Arapiraca se afastam de seus programas por serem pré-candidatos

Os radialistas Alves Correia (Gazeta) e Ailton Avlis (Líder) se afastam de seus programas, a partir desta quinta-feira (30), por serem pré-candidatos a deputado nestas eleições. Ambos são filiados ao Partido Verde (PV) e o afastamento de suas emissoras é uma determinação da Legislação Eleitoral vigente.  

Alves Correia já foi vereador por Arapiraca e deputado estadual e vai tentar uma vaga de deputado federal; já Ailton Avlis será candidato a deputado estadual pela segunda vez e busca seu primeiro mandato. Na ausência de Alves, Neno Correia (irmão) vai comandar o programa na Gazeta FM; por sua vez, André Avlis vai substituir o pai durante o período eleitoral na Líder FM.

Ainda conforme a Legislação Eleitoral, a partir do dia 6 de agosto, as emissoras de Rádio e TV também estarão proibidas de veicular propaganda política e transmitir imagens de realização de pesquisa ou qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral. A regra vale, inclusive, para os conteúdos em forma de entrevista jornalística.

De acordo com a Lei Eleitoral, divulgar ou transmitir programa de Rádio ou TV que faça qualquer alusão ao candidato ou que seja apresentado pelo pré-candidato, pode acarretar o cancelamento do registro da candidatura. Além disso, a infração a essa regra pode resultar em multa de R$ 21.282,00 a R$ 106.410,00 (duplicada em caso de reincidência) à emissora.

Vale lembrar que os radialistas ou jornalistas pré-candidatos podem continuar aparecendo e dando entrevistas em quaisquer destes veículos de comunicação, só não podem mediar os programas. A Lei vale para comentaristas e apresentadores de Rádio e TV, mas não para quem participa, ou seja, eles podem conceder entrevistas normalmente, o que não pode são os entrevistadores, âncoras de Rádio e TV, serem os pré-candidatos.

Também é vedado o tratamento privilegiado a determinada candidatura, legenda, federação ou coligação e veicular filmes, novelas e qualquer tipo de programa que faça alusão ou crítica aos participantes da eleição. Neste último caso, a única exceção ocorre em programas jornalísticos ou debates políticos.