Blogs

Vereador Fabiano denuncia falta de respeito ao cidadão que busca atendimento no Já! em Arapiraca

Por Paulo Marcello 15/10/2021 15h03
Por Paulo Marcello 15/10/2021 15h03
Vereador Fabiano denuncia falta de respeito ao cidadão que busca atendimento no Já! em Arapiraca

A demora no atendimento realizado na Central Já! de Arapiraca, que funciona no Shopping da Cidade, volta a ser criticada pelo vereador Fabiano Leão. Ele relatou, nesta sexta (15), que presenciou uma pessoa passar mal enquanto aguardava atendimento na fila. Uma falta de respeito ao cidadão.

“Esse é um problema recorrente e que o Governo do Estado não consegue resolver. Avisam pra fazer a marcação pela internet, mas com a demora no atendimento, logo as filas estão longas e as pessoas aglomeradas em plena pandemia. Uma pessoa passou mal na fila por conta da demora”, disse.

Fabiano disse que o Já! deveria proporcionar mais comodidade aos arapiraquenses e aos demais cidadãos do Agreste alagoano, mas é apenas propaganda do Governo. O vereador lamente que os usuários tenham que passar por essa ‘via crucis’ ao tentar buscar atendimento no órgão mantido com dinheiro público.

“É muito fácil dizer ao cidadão que ele tem que marcar o atendimento pela internet, mas muitas pessoas não tem internet, não tem celular com internet, é o lanterninha ou não tem crédito pra acessar e aí como é que resolve? Quem marca pela internet tem preferência e as outras pessoas não podem ser atendidas também?”, indagou o vereador.

O parlamentar reconhece que o agendamento on line é importante e deve agilizar o processo para as pessoas, mas reivindica que haja alternativa também para quem não tem como agendar pela internet. Ele deu exemplo do INSS onde a pessoa agenda pelo telefone, mas destaca que não são todos que tem acesso a um pacote de dados ou mesmo aparelho que se conecta com a internet.

“Tem que agendar pelo telefone, pela internet e até pessoalmente pra quem já está no shopping e quer marcar pra depois, mas nem isso eles fazem, mandam acessar a internet e no meu entendimento tá errado. O Já! é para o cidadão, sem diferença, então todo cidadão tem direito de ser atendido”, afirmou.