Blogs

Fracasso de manifestação nas ruas de Maceió e no interior contra Bolsonaro

Por Paulo Marcello 29/05/2021 19h07 - Atualizado em 29/05/2021 19h07
Por Paulo Marcello 29/05/2021 19h07 Atualizado em 29/05/2021 19h07
Fracasso de manifestação nas ruas de Maceió e no interior contra Bolsonaro

Reunidos em pequenos grupos, manifestantes fizeram atos contra o governo federal, neste sábado (29), na capital e no interior de Alagoas. O número de participantes só foi um pouco maior em Maceió e nas demais cidades onde o povo foi às ruas, o que se viu foi um volume baixíssimo de pessoas com faixas e cartazes contra o presidente Bolsonaro.  

Com um número considerado baixo de participantes, foi fácil manter o distanciamento social durante os atos registrados neste sábado. Os grupos também protestaram contra as medidas adotadas pelo governo federal no enfrentamento a Covid-19 e cobraram a aplicação da vacina contra a doença.  

Em Maceió dois grupos foram formados. O primeiro ficou concentrado na Praça dos Martírios e o segundo se reuniu na Praça Centenário na manhã deste sábado. Por volta das 11h, os dois se encontraram e seguiram em caminhada pela Avenida Fernandes Lima, mas sem atrapalhar o trânsito. Segundo organizadores do evento, eram cerca de três mil pessoas. A Polícia Militar (PM) não informou o número de participantes. 

Em Arapiraca (Foto: Breno Airan/Arquivo Pessoal), a segunda maior cidade do Estado, menos de 60 pessoas se reuniram, no início da manhã, na Praça Luís Pereira Lima. Em seguida, o pequeno grupo percorreu algumas ruas do Centro da cidade seguido por um carro de som. Populares registraram e compartilhares as imagens e vídeos nas redes sociais que logo viraram motivo de piada. A Polícia Militar (PM) acompanhou o protesto pacífico, mas não informou o número de pessoas presentes.

Já no sertão do Estado, em Delmiro Gouveia (Foto: Coletivo de movimentos e organizações sociais do Sertão Alagoano), os manifestantes se reuniram, também pela manhã, no calçadão da Câmara Municipal de Vereadores. Um pequeno grupo, cuja quantidade não foi informada, levantou faixas e cartazes pedindo vacina contra a Covid-19 e colocando na conta do presidente Jair Bolsonaro o número de mortes em todo o país.