+° c
Banner Whats App - Já é Notícia
Polícia

Publicado Quarta-Feira, 11/07/2018 19:57 | Atualizado Quarta-Feira, 11/07/2018 20:04

Por: Redação com Alagoas 24 Horas

Militares fazem campanha par adquirir próteses para policial de Alagoas baleada em assalto

Soldado Jaiane perdeu alguns dedos das mãos na ação criminosa, que aconteceu em Pernambuco 

Foto por: Reprodução

A soldado Jaiane Rose Pereira Ribeiro e seus colegas de farda retomaram a campanha de arrecadação de dinheiro para custear próteses para a militar, iniciada no mês passado. Jaiane foi baleada durante um assalto no estado de Pernambuco, no dia 25 de março deste ano.

A militar, lotada no 6º BPM de Maragogi – AL, perdeu alguns dedos das mãos e também foi atingida no tórax durante a ação criminosa.

De acordo com a tenente-coronel Camila Paiva, do Corpo de Bombeiros, a campanha teve início no mês passado, mas como a Polícia Militar de Alagoas havia se comprometido em arcar com os custos, a ação solidária foi encerrada. No entanto, a prótese ainda não foi adquirida, a soldado resolveu retomar a campanha.

“Infelizmente, até o momento, não conseguimos os recursos para que ela conseguisse a prótese. Tivemos uma campanha, mas após a corporação informar que arcaria com os custos ela foi encerrada. No entanto, até agora, não foi possível ser adquirida a prótese para a soldado Jaiane. Então, contamos com o apoio de todos para que possamos fazer esta arrecadação para que ela tente voltar a vida normal”, disse a oficial.

As próteses, que não são fabricadas em Maceió, foram orçadas em cerca de R$7.500. Além dos gastos com os dispositivos, a soldado precisará ainda custear as viagens. A ajuda pode ser feita por meio do depósito na conta da própria soldado, abaixo:

Caixa Econômica Federal
AG: 3695
OP: 001
CC: 20925-9

O caso

A soldado Jaiane Pereira foi baleada durante um assalto registrado no último domingo (25), no município de Jundiá (PE). Ela estava acompanhada do marido, no veículo do casal, e havia deixado a capital alagoana - após fazer a prova do concurso do Tribunal de Justiça - quando foi interceptada por criminosos, que a reconheceram como policial. Ela reagiu e acabou baleada no tórax e nas mãos.
 
  DEIXE SEU COMENTÁRIO

“Os comentários abaixo não expressam a opinião do Portal Já é Notícia, que não se responsabiliza pela declaração do leitor.”

Últimas Notícias
©Todos os direitos reservados - 2018
Agência Lúmen