+° c
Banner Whats App - Já é Notícia
Entretenimento

Publicado Terça-Feira, 10/07/2018 16:03 | Atualizado Terça-Feira, 10/07/2018 16:09

Por: Redação com Ascom/Prefeitura de Arapiraca

Grupo teatral baiano leva Shakespeare ao Parque Ceci Cunha, em Arapiraca, nesta quinta (12)

Apresentação teatral será aberta a todo o público arapiraquense; temas recorrentes como hipocrisia, abuso de poder e corrupção são abordados na peça

Foto por: Zélia Uchôa

“Medida por Medida” é uma das 38 peças escritas pelo escritor inglês William Shakespeare, um dos maiores e mais influentes da literatura mundial.

Ela foi escrita há praticamente quatro séculos e trata de assuntos ainda bem atuais como o combate à corrupção, abuso de poder, traição, hipocrisia, sexo e justiça, tendo o fio existencial conduzindo os atos.

Tudo isso volta à tona nesta quinta-feira (12) com o espetáculo teatral “Medida por Medida”, que será apresentado em Arapiraca pelo grupo Teatro Popular de Ilhéus.

Selecionada pelo programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2018/2019 e contando ainda com o apoio do Ministério da Cultura e da Prefeitura de Arapiraca, com a produção local da Sue Chamusca, a montagem acontecerá na arqueada escadaria da Praça Municipal Ceci Cunha, no Centro de Arapiraca, a partir das 19h. Isto é, a performance será gratuita para o povo, com classificação livre.

A novidade é que a apresentação terá os recursos de audiodescrição e intérprete de Libras, a fim de que todos acompanharem de perto o enredo shakespeariano que traz o Duque de Viena saindo de cena, indo supostamente para a Polônia, e deixando seu substituto em plena autoridade, Ângelo, no comando.

O Duque se infiltra no meio do povo, disfarçado de frade, para analisar o comportamento social e, na peça, vê Ângelo resgatando uma antiga lei que condenava práticas de sexo (no caso, fornicação antes do casamento e luxúria) com pena de morte sequencial.

Assim, o “novo poderoso” condena Cláudio sob esta pena capital quando descobre que ele engravidou Julieta, sua amante. Hipocrisia pura.

E tudo ganha um novo contexto quando Ângelo se vê apaixonado por Isabela, irmã de Cláudio, que pede que ele não o condene à sentença máxima, oferecendo-lhe algo sagrado.

O que paira no ar é a pergunta que reverbera em nossos ouvidos na atualidade: a lei é, realmente, para todos?

Oficinas cênicas

Além deste primeiro momento, haverá, nesta sexta-feira (13), duas oficinas gratuitas de formação cênica, com 20 vagas cada: uma para o público em geral e outra para os artistas e grupos teatrais da cidade.

Elas acontecerão na Casa da Cultura e Biblioteca Municipal Professor Pedro de França Reis, situada na Praça Luiz Pereira Lima, também no Centro.

A primeira, “Desmontagem do Espetáculo”, é para todos que quiserem participar, das 9h às 12h. Por fim, durante tarde e noite, das 13h30 às 21h, o direcionamento será para os artistas de teatro de Arapiraca com a “Da dramaturgia à cena”.

As inscrições da oficina matutina podem ser feitas na hora. Já a segunda, podem ser realizadas através deste formulário aqui.

O Teatro Popular Ilhéus nasceu em 1995 no sul da Bahia e os espetáculos do grupo sempre se apoiam em questões atuais e em pesquisas bem fundamentadas.

Esta peça de Shakespeare, por exemplo, foi fruto de uma ocupação em 2014 do Teatro Castro Alves, em Salvador, em um intercâmbio com o grupo Clowns de Shakespeare, de Natal (RN).



 
  DEIXE SEU COMENTÁRIO

“Os comentários abaixo não expressam a opinião do Portal Já é Notícia, que não se responsabiliza pela declaração do leitor.”

Últimas Notícias
©Todos os direitos reservados - 2018
Agência Lúmen