+° c
Banner Whats App - Já é Notícia
Brasil/Mundo

Publicado Sexta-Feira, 12/01/2018 13:16 | Atualizado Sexta-Feira, 12/01/2018 13:16

Por: G1

Paciente fica mais de 40 horas com prótese dentária entalada na garganta

 

Foto por: ANTÔNIO MONTEIRO/ REPRODUÇÃO

A falta de um aparelho de endoscopia no Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos e a burocracia provocaram dias de angústia para o paciente Antonio Monteiro Cantalice, de 59 anos e familiares. O morador da cidade ficou com uma prótese dentária entalada na garganta por mais de 40 horas, aguardando atendimento para a retirada do material. O procedimento foi feito na manhã de quinta-feira (11) no hospital Santa Marcelina de Itaquera.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que o paciente foi prontamente atendido quando chegou ao hospital após já ter engolido a prótese. O G1 aguarda informações sobre a situação do aparelho de endoscopia no Hospital Regional de Ferraz.

Segundo a filha dele, Michele Maria Cantalice, o problema começou na última terça-feira (9), quando o paciente se engasgou com a prótese dentária. "Corremos com ele para o hospital regional de Ferraz. Chegando lá, fizeram o raio-X e disseram que era necessário fazer uma endoscopia para ver como está a situação por dentro, já retirar ou já fazer uma cirurgia. O problema é que o hospital está sem o aparelho de endoscopia há dias e ai começou a nossa corrida contra o tempo".

A equipe médica do hospital regional de Ferraz solicitou a transferência do paciente para um hospital que tivesse o procedimento.

A transferência foi autorizada pela Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (CROSS) por volta das 19h de terça e o paciente seria atendido na quarta (10) no hospital Santa Marcelina de Itaquera. "O regional de Ferraz não tinha ambulância para levar meu pai, então ele ia perder a vaga. Fui na Ouvidoria do hospital, onde fui muito bem tratada e, depois de uma força-tarefa, meu pai foi transferido em um carro normal para o Santa Marcelina, acompanhado de uma enfermeira. Mas ai tivemos mais problemas", contou.

A filha conta que o Hospital Santa Marcelina de Itaquera não quis realizar o procedimento porque o paciente deveria estar acompanhado de um médico do hospital de origem, o que não teria sido solicitado em nenhum momento durante o pedido de transferência. "O hospital não avisou que tínhamos que ir com um médico do Regional. Meu pai voltou para Ferraz com a dentadura entalada na garganta", comentou a moça.

Por volta das 20h de quarta, a família recebeu um novo comunicado do hospital regional de Ferraz informando que a endoscopia seria feita na manhã de quinta, no Santa Marcelina de Itaquera.

A prótese dentária foi retirada apenas na quinta-feira em um procedimento que demorou cerca de 20 minutos. O paciente retornou ao Hospital Regional de Ferraz e recebeu alta no fim da tarde.

Agora, a família vai pagar por exames particulares para saber se o tempo em que a prótese ficou entalada na garganta causou alguma lesão. Se houver, a família afirma que vai processar o Estado.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que "o Sr. Antônio foi prontamente atendido, assim que deu entrada na unidade, passando por classificação de risco e avaliação médica. Como o paciente apresentava condições clínicas estáveis e sem correr risco iminente, ele foi encaminhado o mais rápido possível para o Santa Marcelina de Itaquera em carro oficial devidamente acompanhado de um profissional de saúde, para passar por exames específicos. Ou seja, o quadro clínico do Sr. Antônio não configurava a necessidade de ambulância. O Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos está à disposição dos familiares para quaisquer esclarecimentos". 
  DEIXE SEU COMENTÁRIO

“Os comentários abaixo não expressam a opinião do Portal Já é Notícia, que não se responsabiliza pela declaração do leitor.”

Últimas Notícias
©Todos os direitos reservados - 2018
Agência Lúmen