15/10/2013
Médica persegue, atropela e mata casal de irmãos
 
Foto por: Dando Pitacos
A violência no trânsito, que já foi exclusividade masculina, chegou de vez às mulheres.

A médica oftalmologista Kátia Vargas Pereira, de 45 anos, segundo conclusão da polícia baiana e a versão de testemunhas, depois de um desentendimento banal, perseguiu, atropelou e matou os irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, de 21 e 23 anos, respectivamente.

Eles estavam em uma motocicleta na Avenida Oceânica, em frente ao Ondina Apart Hotel, no bairro de Ondina - Salvador - BA, quando foram mortos.

O crime aconteceu na manhã da última sexta-feira (11). A médica deve ser indiciada por duplo homicídio com dolo eventual, quando a pessoa assume o risco de matar, segundo informações da delegada Jussara Souza, titular da 7ª Delegacia (Rio Vermelho), que investiga o caso.

Segundo a policial, as imagens colhidas por câmeras de segurança são “conclusivas” e mostram que a médica teve a clara intenção de causar o acidente, que aconteceu depois de um desentendimento corriqueiro no trânsito. O carro da médica, um Kya/Sorento, aparece em alta velocidade atrás da moto, o que leva a crer que o acidente foi proposital.

- Depois que teve o desentendimento, ele (Emanuel) bate no vidro do carro reclamando da fechada e sai. Aí ela correu atrás deles e existe um toque (do carro na moto). Ela vai ser indiciada por homicídio doloso - explicou Jussara. 

Segundo informações da Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador - Transalvador, a moto onde estava o casal de irmãos bateu em um poste, causando a morte dos dois, depois do toque do carro dirigido por Kátia. Emanuelle era estudante de Direito e Emanuel completaria 22 anos amanhã (15/10).

A médica, que também bateu o carro, sofreu vários traumas e apresenta escoriações nas costas, está internada, sem previsão de alta e sob custódia policial, no Hospital Aliança.

Quem assistiu ao acidente confirma a versão da polícia. O lavador de carros Maurício França de Jesus, por exemplo, contou que houve uma discussão entre os jovens e a médica, por causa de uma "fechada" que o Kya/Sorento teria dado na motocicleta na esquina da Rua do Escravo Miguel com a Avenida Oceânica, centro de Salvador.

- Ela fechou a moto, daí começaram a discutir. Ela deixou ele acelerar e depois bateu nele por trás. Depois ela saiu bambeando com o carro e bateu - esclareceu Maurício.

Este é mais um capítulo da novela que mostra a violenta batalha travada diuturnamente nas ruas do país por motoristas, motociclistas e pedestres, tudo sob o olhar de autoridades complacentes e leis frouxas, que só fazem beneficiar criminosos para quem a vida humana não tem nenhum valor.

Não demora muito e a médica, como inúmeros outros envolvidos em acidentes da mesma natureza, vai pagar uma fiança e voltar para as ruas.

Até quando?

 

Fonte: Dando Pitacos