+° c
Banner Whats App - Já é Notícia
Sala de Negócio

Sala de Negócio

“Relatos sinceros de um consultor com uma vida mesclada entre negócios, pessoas e histórias. O resto é a vida real! ✌🏽” 

Semana 007 - Digital Influencer ou Digital Thinker? – Uma teoria reflexiva

 

Ilustração

Olá queridos amigos! Como vocês estão? Semana de volta às normalidades, aos trabalhos e às atividades contínuas. Normalmente alguns chamam isso de rotina, outros chamam de trabalho, eu chamo de fazer dinheiro! Entretanto o tema desta semana não tem nada haver com isso. Já pensou? (Bem que poderia né).

Há algumas semanas atrás estava almoçando com uma amiga e dentre de muitos papos “cabeças” iniciamos uma conversa sobre nossos futuros no negócio e consequentemente em possíveis estratégias para potencializa-las. Até que em um determinado momento a mesma me elogiou quanto ao trabalho no qual eu estava desenvolvendo nas mídias sociais (mais precisamente no instagram) e automaticamente perguntou se eu estava querendo me tornar um “Digital Influencer”. Depois de alguns segundos de reflexão (que na minha cabeça pareceram horas), respondi que naquele momento não tinha interesse, mas gostaria de fazer as pessoas pensarem, de produzir conteúdo e material para que as pessoas pudessem refletir e tomar as melhores decisões, completando que na verdade gostaria de ser um “Digital Thinker”.

Digo-lhes que antes de escrever, fiz uma busca rápida sobre o termo “criado naquela mesa regada a cafés expressos pós-almoço” e até o presente momento só apareceram empresas de Mídias Sociais e um texto muito tops sobre pensamento *analógico e digital (colocarei abaixo o link). Praticamente criei um termo ao produzir minha visão de ideal.

Mas aí no meio desta leitura você pensa: “... mas Victor, você não seria da mesma forma uma digital Influencer? Não estaria de qualquer maneira influenciando alguém a alguma coisa?”. Lógico que sim! Contudo o que se pretende salientar são os tipos de contextos distintos entre as duas terminologias. A primeira trata-se de um produtor de conteúdo que utiliza seus canais para influenciar, principalmente consumos e conceitos por meio de opiniões e experiências próprias *(se quiser saber como se tornar, achei um texto massa que deixarei em anexo). Quem consome, absorve esta informação e sem processa-la transforma em desejo, que depois vira uma necessidade básica até adquirir aquilo. Sem reflexão, sem processamento, sem relativizar absolutamente nada. O termo criado, não quer nada disso (mesmo que em algo momento possa existir), ele busca trazer a sua capacidade argumentativa para as escolhas de sua vida. Não é para ler um texto sobre planejamento e fazer igual, mas refletir até que ponto isso é importante e quais os resultados de produzir aquilo proposto.

Pergunta/exemplo: Você como digital Influencer esportivo, que coloca em sua mídia que é importante para saúde beber 2 litros de água por dia, consegue fazer pessoa refletir sobre esta informação, ou simplesmente diz que é importante e pronto? Você está realmente preocupado com o resultado de suas informações? Entendem a diferença!

É como existisse uma transformação de digital Influencer, para “digital thinker Influencer”! (rindo muito com essa teoria)

Desde já, aviso que em nenhum momento este texto se trata de alguma crítica a esta profissão (hoje deve ser tratada assim), principalmente porque se acredita que a gente só mostra algo porque alguém do outro lado está a fim de olhar. Não faz sentido julgar uma pessoa pela sua forma de viver (mais conhecida por lifestyle), as decisões tomadas por nós ao longo do tempo são causadas por contexto sociais, automaticamente influenciadas por pessoas do nosso convívio ou não, mas que de alguma forma se encaixa com valores, ideais, ou contextos semelhantes de personalidade. Ou seja, somos influenciados e influenciadores ao mesmo tempo. Ou ainda acha que a camisa polo que você comprou semana passada foi fruto de uma ação deliberada baseada exclusivamente no que você acha?

Independentemente de qualquer manipulação que possa existir no ambiente social, a expressão “não” dita no momento da conversa ao termo Influencer, foi por acreditar em outra perspectiva, em algo que seja hoje mais impactante. O simples ato de fazer as pessoas pensarem. Desculpa aí a sinceridade, mas parece que o mundo está com preguiça disso! É como se fosse algo cansativo, complicado e muito tenebroso! Calma jovem! Pensar faz bem para saúde, faz bem para o futuro e obviamente para toda sociedade. E quando se fala sobre essa dificuldade atual, todo o contexto se reflete diretamente nas tomadas de decisões diárias, onde a influência pura gera um impulso e mina a reflexão sobre certo e errado ou sobre necessidade e supérfluo. É mais ou menos a distinção sobre manipular e persuadir (escreverei depois sobre isso).

A questão a ser concebida está em como você quer ser e porque você quer ser digital. É por conta da fama? Porque o amigo se tornou, e você achou legal? É porque você se acha engraçadinho? Porque a grana é boa? Ou porque você tem realmente algo relevante a passar para as pessoas? Todos nós temos algo para mostrar, mas todos sabem quais são estes diferenciais?

No fim de tudo, a única coisa que quis passar naquele bate papo é que a minha preocupação está muito mais atrelada ao conteúdo, a relevância das informações e como elas se transformarão em conhecimento. Fazer você pensar, refletir, questionar e tomar decisões porque você tem base e informações é o meu principal objetivo.

Mas este é o meu! O seu não precisa ser igual! Pense, reflita e busque o melhor pra sua vida!

Você prefere ser digital Influencer, digital thinker Influencer, ou nada disso, porque é chato?

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

https://blog.hotmart.com/pt-br/como-se-tornar-um-digital-influencer/

http://futureofcio.blogspot.com.br/2015/09/are-you-analog-or-digital-thinker.html
 
  DEIXE SEU COMENTÁRIO

“Os comentários abaixo não expressam a opinião do Portal Já é Notícia, que não se responsabiliza pela declaração do leitor.”

©Todos os direitos reservados - 2018
Agência Lúmen