Arapiraca
+22° c
Banner Whats App - Já é Notícia
Além da Caixa

Além da Caixa

O Além da Caixa é um espaço para a discussão dos mais diversificados temas sob a ótica da psicologia do comportamento. De maneira direta e com uma linguagem clara falaremos ao público em geral, mas sem destoar dos princípios da Psicologia Científica. Seus responsáveis são os psicólogos comportamentais Cinthia Ferreira CRP 15/3287, Jacinto Neto CRP 15/3274, Jackelline Lima CRP 15/3275 e Renata Lopes CRP 15/3296, graduados em Psicologia pela Universidade Federal de Alagoas e pós graduação em Análise do Comportamento. Endereço: Clínica Vida Bella - Av. Ceci Cunha, 255, Alto do Cruzeiro - Arapiraca/AL. Telefone para contato: 35211565 / 96180666

Terapia de Casal: Quando procurar?

 

Divergir é considerado algo comum entre casais, afinal somos seres diferentes, que nos comportamos e pensamos de acordo com o que acreditamos ser coerente. Porém se além de divergir com frequência, o casal dificilmente encontra um consenso para resolver seus conflitos, talvez esteja na hora de buscar ajuda profissional.
            Atualmente a terapia de casal vem sendo muito procurada, uma vez que, os casais começaram a entender que não estão sabendo lidar com os problemas sozinhos, os motivos são infinitos, desde as dificuldades de interações sexuais e emocionais, educação dos filhos, carreira, dinheiro, cuidados com a casa, falta de tempo, brigas, violência doméstica, infidelidade... em fim qualquer motivo que esteja desestruturando o relacionamento, seja no namoro, noivado ou casamento.
Estamos em uma cultura de guerra, onde cada cônjuge tem milhares de funções a ser executada ao longo do dia. Questões próprias do trabalho, cuidados com a casa, decisões sobre os filhos etc. Assim, ao final de um dia o que sobra? Duas pessoas exaustas, sem tempo e disposição para um momento de qualidade com o cônjuge, sem ânimo para trocas de carícias e sem disposição para o sexo.
            Diante dessas queixas, o terapeuta auxilia o casal a responsabilizar-se por suas próprias necessidades, estimulando cada um a exercer um papel ativo na satisfação destas, com o objetivo de reduzir a frequência de um membro culpar o outro por seus descontentamentos. De acordo com CORDOVA & JACOBSON, (1999) as estratégias para a promoção de mudanças são: mudança de comportamentos e treinamento em comunicação e solução de problemas. Para possibilitar a mudança de comportamento cada membro do casal deve identificar o que pode ser feito para aumentar a satisfação do outro no relacionamento e em seguida tentar aumentar a frequência desses comportamentos que são positivos para o relacionamento na vida cotidiana do casal.
            O treinamento em comunicação tem como objetivo instruir o casal a ter habilidades para falar sobre os conflitos de maneira mais eficiente e com consequência a comunicação poderá ser mais franca, aumentando o nível de intimidade do casal. O treinamento em soluções de problemas visa instruir os casais a usarem estratégias concretas para lidar com os diversos tipos de problemas que ocorrem no relacionamento. Essas estratégias envolvem uma série de passos para solucionar os problemas de forma eficaz, sendo estes: definição do problema, o casal deve relatar os problemas de forma clara e não vagamente; solução do problema, o casal deve apresentar alternativas para resolver os problemas que foram levantados; obter um acordo sobre a mudança que foi proposta pelo próprio casal (CORDOVA & JACOBSON, 1999).
            Falando em solução de problemas, quando foi mesmo, a última vez que tiveram um momento prazeroso e agradável a dois? Há uma semana, há quinze dias, há um mês? A frequência fica cada vez com espaço de tempo maior.
            O distanciamento geralmente ocorre de forma gradativa sem que muitas vezes, haja uma compreensão do que está acontecendo, as vezes sem brigas, sem algum “grande” motivo aparente. O casal começa a agir como estranhos, como pessoas que não tem mais a liberdade para dar um beijo, ou até um simples bom dia. Sentem dificuldade em dar o primeiro passo e ficam assim, um esperando pelo outro.
 
            Atrelado a esse distanciamento gradativo, as redes sociais tiveram um papel grande no fim de muitos relacionamentos. O uso de aplicativos, em telefone para comunicação, vem contribuindo para a perda de contato presencial. A queixa mais comum é de estarem no mesmo ambiente e se falarem através do celular. São mensagens que são escritas e não mais ditas olho no olho, sem que se perceba expressões corporais que facilitam na interação do casal.
            As pessoas passam mais tempo em seus smartphones do que com seus cônjuges. É comum o casal sair para jantar ou ir para um momento de lazer e assim que sentar no restaurante sacar o celular e começar a checar suas redes sociais, isso demostra falta de interesse no seu parceiro. Em alguns casos, ficar conectado no celular, pode ser uma forma de fugir de uma “D.R”, assim é mais “prazeroso” acompanhar as atualizações das pessoas que estão postando momentos felizes de suas vidas do que ouvir as queixas do cônjuge que só falará de problemas. Fugindo assim da real situação e, pior, procrastinando tomadas de decisões e atitudes que poderiam modificar o rumo do relacionamento.
            Mas e aí, diante de todo esse processo de mudanças desfavoráveis, é possível resgatar a capacidade de conviver de forma prazerosa? Aqui vai duas orientações para você evitar o distanciamento do seu par: A comunicação sempre será a grande aliada de um bom relacionamento. Sabe a famosa “ D. R.” (discussão de relação)? Não a evite. Só saberemos o que está incomodando se isso for exposto. Ninguém tem bola de cristal para adivinhar o que se passa nos pensamentos de ninguém. Então, fale e escute. Aprendam a fazer e ouvir críticas construtivas e faça de cada situação problema, um aprendizado que não poderá ser repetido. A comunicação em dia irá favorecer a interação entre o casal além de manter a intimidade e a confiança.
            Outra regra importante é: reserve um tempo de qualidade para namorar. De acordo com sua rotina, escolham pelo menos uma vez por semana, um tempo só para o casal. Seja para assistir um filme juntos, um jantar romântico, um banho mais demorado ou viagens. Aqui vale usar toda a criatividade para criar situações ou programas prazerosos para os dois.
            No entanto, mesmo com algumas tomadas de atitudes pessoais, alguns casais, não conseguem lidar sozinhos com a “crise” do relacionamento. A terapia de casal poderá auxiliar nessa restruturação, desde que haja um mínimo de respeito entre as partes. Além da capacidade de diálogo e o principal: a compreensão de que ambos terão de mudar, afinal o cuidado e a mudança tem que ser recíproco!



Jackelline dos Santos Lima Silva
Psicóloga Clínica Comportamental
CRP: 15/3275
 
Referencia Bibliogrráfica
  CORDOVA, J. V., & JACOBSON, N. S. Crise de casais. Em D. H. Barlow (Org.), Manual clínico dos transtornos psicológicos, 2ªed. p.535-567. Porto Alegre: Artmed. 1999. 
  DEIXE SEU COMENTÁRIO

“Os comentários abaixo não expressam a opinião do Portal Já é Notícia, que não se responsabiliza pela declaração do leitor.”

©Todos os direitos reservados - 2017
Agência Lúmen